17 outubro 2012

O que é Coaching?

Animação Simples e Objetiva


http://www.youtube.com/watch?v=ZnL1o2cpjq4

Você seria eleito para sua carreira? Já que estamos em período de eleições, gostaria de lhe fazer uma pergunta: você seria eleito para o cargo que almeja? Abaixo, uma pesquisa eleitoral a seu respeito


11/10/2012  - Por Sílvio Celestino* 
Qual o seu propósito?
Empresas existem para preencher propósitos. Quer seja resolver um problema, suprir uma necessidade ou oferecer uma experiência ao consumidor, companhias são criadas a partir de um propósito. Para preenchê-lo, precisam de estruturas, equipamentos, investimentos, estratégia, funcionários e líderes. Qual o seu propósito? Você quer trabalhar somente para ganhar dinheiro? Para ter conhecimento, superar desafios, desenvolver-se?
Se você está em uma empresa em crescimento e deseja ser um líder executivo, então seu propósito está alinhado com as necessidades dela. Mas você quer ser isso somente porque deseja mais dinheiro e status, ou você, de fato, pretende resolver problemas e desenvolver outros líderes? Você aguenta a pressão por resultados? 
Seus eleitores votariam em você?
Assim como o prefeito precisa conhecer bem seu eleitorado, você também deve conhecer quem vota em você. Isso depende do cargo que almeja. Se você deseja ser gerente, seus eleitores são os diretores da empresa. Se anseia ser diretor, então terá de conquistar o presidente e os conselheiros. E, se quer ser CEO, precisa dos votos dos acionistas. Enfim, você conhece quem é seu eleitor? Trabalha por ele? É percebido pelos eleitores como alguém que tem credibilidade para o cargo? A propósito: você respeita seus eleitores? Faz o que eles esperam de você? Ou só faz o que lhe interessa?
Qual o seu plano de governo?
Se você virar gerente, como pretende dirigir o seu departamento? Colocará os propósitos dos acionistas acima de tudo? Ou será um verdadeiro administrador e saberá balancear as necessidades de todos os stakeholders? Se a pressão acontecer, que critérios usará para tomar decisões? Atender os acionistas e deixar de lado os clientes e os funcionários não é uma plataforma muito inspiradora. Ao mesmo tempo, se descuidar do curto prazo e pensar em dar resultados só no futuro, pode ser que os acionistas não concordem com você. Vida de gerente tem dessas coisas.