18 novembro 2015

Vale a pena deixar uma carreira no Brasil e aceitar um Subemprego no exterior? Parte 1

Ter um subemprego no exterior significa trabalhar informalmente e em posições que não necessitam de qualificação, como por exemplo, Au pair, ajudante, atendente ou auxiliar em inúmeras e distintas áreas. São trabalhos que ajudam muita gente a se sustentar, mas muitas vezes vistos com um certo preconceito.


Muitos brasileiros saem do país com o sonho de ganharem bons salários, terem uma vida tranquila e estável, deixam carreiras consolidadas e, ao chegarem no destino, têm de recorrer a subempregos por não conseguirem uma colocação na área em que se especializaram. Para alguns, é apenas uma forma temporária de sobreviver. Para outros, é a uma oportunidade de aprendizado e ressignificação.


Mas será que isso vale a pena? Fora do Brasil um subemprego é melhor remunerado, mas o trabalho é igualmente pesado. Exige muito fisicamente e as horas extras são uma realidade para quase todos. É importante avaliar a predisposição para enfrentar essas tarefas e não correr o risco de uma decepção. 

Essa reflexão continua depois... acompanhe e dê sua opinião!
Margarete Soares
Há 1,5 ano mora na Alemanha
Psicóloga, atua como consultora online sobre orientação de carreira e carreira internacional
Mais de 15 anos trabalhando com os temas carreira, talento e desenvolvimento de pessoas em multinacionais
margarete.soares@potens.com.br
skype: margaretesoares5
Whatssapp: +49 157 507 79726
 
Canal no Youtube: Margarete Soares #tevedobem

Um comentário:

  1. Esta condição normalmente é decorrente da falta de dominio do idioma. Muitas vezes, mesmo trabalhando igual ou mais que no Brasil, as demais condições (segurança, moradia, estudo, lazer) podem ser muito melhor e compensar tal sacrifício em media e longo prazo.

    ResponderExcluir

Obrigada por contribuir com o BLOG da Potens.