24 novembro 2015

Vale a Pena deixar uma carreira no Brasil e aceitar um subemprego no exterior? Parte 4

A rotina de um subemprego é puxada e é melhor não criar grandes expectativas. Mas é possível encarar essa etapa de forma positiva e transformá-la em algo muito mais bom. Confira as dicas abaixo: 

1) Tenha em mente que está fazendo algo temporário. Mantenha os seus objetivos em vista e não desista de alcançá-los. O subemprego pode ser um degrau necessário para uma outra função.

2) Aproveite para integrar-se mais, seja conhecendo pessoas ou melhorando o idioma. Trabalhar também é bacana para entender o funcionamento econômico do país.

3) Quem pretende retornar ao Brasil, pode voltar com uma boa bagagem cultural. Experiências no exterior sempre contam pontos a mais no currículo, mesmo que você não tenha trabalhado na sua área.

4) Signifique o seu cotidiano. Muito provavelmente você passará a dar valor a certas coisas que nem imaginaria.

5) Seja positivo. Não precisa sentir-se obrigado a amar o que está fazendo, mas já que topou, trabalhe com dedicação. Seu trabalho é o seu cartão de visitas, nesse caso.

O que achou desse tema? Dê sua opinião! 

Vem conversar com a gente!

Margarete Soares
Há 1,5 ano mora na Alemanha
Psicóloga, atua como consultora online sobre orientação de carreira e carreira internacionalMais de 15 anos trabalhando com os temas carreira, talento e desenvolvimento de pessoas em multinacionais
margarete.soares@potens.com.br
skype: margaretesoares5
Whatssapp: +49 157 507 79726
 
Canal no Youtube: Margarete Soares #tevedobem



22 novembro 2015

Vale a Pena deixar uma carreira no Brasil e aceitar um subemprego no exterior? Parte 3


Vale a pena ou não? A resposta dependerá se você está aberto a novas possibilidades, quer entender de fato como funciona a dinâmica do novo país e não se importar de trabalhar nas funções de base, assim, a experiência compensará. 

Para quem acha que uma carreira segura vale mais e não tem disposição para um trabalho pesado, o melhor é ficar onde está. Em termos financeiros, os subempregos têm remunerações justas e não há luxo. É ir fazendo o que se pode até encontrar algo melhor. 
Mas, antes de fazer qualquer coisa, deve se perguntar: será que estou disposto?



Margarete Soares
Há 1,5 ano mora na Alemanha
Psicóloga, atua como consultora online sobre orientação de carreira e carreira internacional
Mais de 15 anos trabalhando com os temas carreira, talento e desenvolvimento de pessoas em multinacionais
margarete.soares@potens.com.br
skype: margaretesoares5
Whatssapp: +49 157 507 79726
 
Canal no Youtube: Margarete Soares #tevedobem


20 novembro 2015

Vale a Pena deixar uma carreira no Brasil e aceitar um subemprego no exterior? Parte 2

Quem sai do país não está destinado apenas ao subemprego. Existem vários países que procuram brasileiros qualificados como nas áreas de TI, Engenharia, Marketing, RH. Mas os que não têm essa sorte a princípio, ingressam por outros caminhos para otimizarem a fluência na língua local. 

Além disso, é possível encontrar vagas de Au Pair, por exemplo, com salários maiores ou iguais ao piso de profissões como jornalistas, professores... Como ponto a favor, o custo de vida nos destinos mais comuns dos brasileiros (Estados Unidos, Canadá e países da Europa) é menor ou tem remunerações que acompanham as despesas dos habitantes.

O subemprego nada tem a ver com aquele clima de glamour que ronda o imaginário brasileiro. Quem pensa em emigrar e não está disposto a essas alternativas, precisa se preparar muito bem e planejar detalhadamente seu novo momento de vida, no curto, médio e longo prazo. Ter claro quais são as metas a serem atingidas é fundamental para não se perder no meio do processo.

Essa reflexão continua... acompanhe e dê sua opinião!


Margarete Soares
Há 1,5 ano mora na Alemanha
Psicóloga, atua como consultora online sobre orientação de carreira e carreira internacional
Mais de 15 anos trabalhando com os temas carreira, talento e desenvolvimento de pessoas em multinacionais
margarete.soares@potens.com.br
skype: margaretesoares5
Whatssapp: +49 157 507 79726
 
Canal no Youtube: Margarete Soares #tevedobem

18 novembro 2015

Vale a pena deixar uma carreira no Brasil e aceitar um Subemprego no exterior? Parte 1

Ter um subemprego no exterior significa trabalhar informalmente e em posições que não necessitam de qualificação, como por exemplo, Au pair, ajudante, atendente ou auxiliar em inúmeras e distintas áreas. São trabalhos que ajudam muita gente a se sustentar, mas muitas vezes vistos com um certo preconceito.


Muitos brasileiros saem do país com o sonho de ganharem bons salários, terem uma vida tranquila e estável, deixam carreiras consolidadas e, ao chegarem no destino, têm de recorrer a subempregos por não conseguirem uma colocação na área em que se especializaram. Para alguns, é apenas uma forma temporária de sobreviver. Para outros, é a uma oportunidade de aprendizado e ressignificação.


Mas será que isso vale a pena? Fora do Brasil um subemprego é melhor remunerado, mas o trabalho é igualmente pesado. Exige muito fisicamente e as horas extras são uma realidade para quase todos. É importante avaliar a predisposição para enfrentar essas tarefas e não correr o risco de uma decepção. 

Essa reflexão continua depois... acompanhe e dê sua opinião!
Margarete Soares
Há 1,5 ano mora na Alemanha
Psicóloga, atua como consultora online sobre orientação de carreira e carreira internacional
Mais de 15 anos trabalhando com os temas carreira, talento e desenvolvimento de pessoas em multinacionais
margarete.soares@potens.com.br
skype: margaretesoares5
Whatssapp: +49 157 507 79726
 
Canal no Youtube: Margarete Soares #tevedobem

16 novembro 2015

Como turbinar seu currículo para uma carreira internacional (sem investimento financeiro)



É possível ter um currículo invejável, aperfeiçoar um idioma e ainda conseguir turbinar a carreira? Sim, claro que sim! Mas sem investimento financeiro? A resposta é também sim!!
Muita gente ainda não sabe que existem outros meios que não o convencional (passagem + hospedagem + curso ou viagem de turismo, por exemplo) para ir para fora do país.
Você sabia que diversos países oferecem Programas de Bolsa de Estudo extremamente atraentes que te permitem conquistar o sonhado pacote que eu citei no começo do artigo?  



Nos EUA, por exemplo, existe uma bolsa de estudos de três meses oferecida pela Universidade do Sul da California (USC International Academy) que prepara estudantes para o processo de application (candidatura) às melhores universidades do mundo e que cobre todo o valor do curso (US$ 9.000), as taxas da universidade (US$ 950), e inclui ainda materiais didáticos, seguro-saúde, acomodação e passagens áreas de ida e volta dos EUA. Já pensou conseguir uma bolsa dessas? Uma oportunidade assim, só pode abrir mais portas para sua profissão fora do país.


As boas faculdades (de graduação, pós graduação ou de MBA etc)  com tradição em intercâmbio também oferecem parcerias interessantes no exterior. Uma delas pode oferecer exatamente a oportunidade que você busca. Para isso, é preciso encontrar as fontes onde essas informações são disponibilizadas.
Um outro ótimo exemplo, é o que temos aqui na Alemanha: uma competição anual de monografias em que estudantes (sendo já profissionais ou não) são previamente selecionados pela relevância de suas obras para apresentarem  no evento World Business Dialogue suas pesquisas, pontos de vista e recomendações em forma de estratégias de negócios. Na ocasião, estão presentes presidentes, diretores e empresários de corporações globais além de representantes de universidades renomadas. É uma experiência fantástica que só pode trazer bons frutos para o futuro de quem sonha com uma carreira internacional. O fato é que para participação em Conferências e Simpósios como deste do exemplo, todos os custos com transporte e hospedagem são bancados, além da oportunidade de conhecer e se relacionar com empreendedores do mundo inteiro, o que certamente facilita a vida de quem pretende morar e trabalhar fora do país.
Acreditem, oportunidades é que não faltam. Basta investir em informação, como eu venho dizendo, mas informação de qualidade. 



Então, vamos a nossa lista de dicas de hoje para turbinar sua experiência internacional:
 

1 - Idioma
Não adianta... sem o domínio de uma língua estrangeira, as chances de participar de algo nessa linha é zero! Com relação ao tema de hoje (bolsas de estudos e competições internacionais de monografias) normalmente o inglês é o mais requisitado por conta de sua abrangência, mas dependendo de onde o evento acontece, o espanhol, francês, alemão também ganham importância... E lembre-se: ter uma super trabalho para apresentar é fácil. Falar um outro idioma pode não ser um bicho de sete cabeças, mas escrever, apresentar o tal trabalho, articular e defender seu ponto de vista numa outra língua que não a materna, aí é que são elas. Portanto, prepare-se!


2 - Antene-se!
Como eu, há algum tempo atrás, talvez você também não tenha visibilidade das dezenas de possibilidades que estão disponíveis agora mesmo. Uma rede de contatos séria e profissional faz toda a diferença. Invista tempo na seleção de sua lista no Linkedin e Facebook. Participe de fóruns de discussão de qualidade e que tenha a ver com esses temas para ficar por dentro do que até o momento é invisível aos olhos. Quanto mais bem conectado você estiver, maiores são as chances de uma oportunidade interessante chegar até você. 

 
3 - Pense no longo prazo
Uma outra dica que dou, porque venho vivendo na pele aqui na Alemanha, é fazer trabalho voluntário na área de atuação que te interessa. É impressionante como um contato e uma oportunidade assim tem o poder de te levar a outro contato e a outro contato e a outro contato. O ambiente do trabalho voluntário é igual ao de qualquer outro meio, onde temos a oportunidade de conhecer pessoas que podem nos ajudar e ou nos oferecer possibilidases que nos levarão a outros patamares. Além disso, muitas ONGs internacionais oferecem também apoio e subsídio para quem tem interesse em fazer carreira internacional em áreas que atuam em causas globais, assistenciais, comunitárias e por aí vai. Lembre-se: se você tem uma meta clara a longo prazo, vale a pena abrir mão de ganhos financeiros no curto prazo.

4 - Pesquise! Pesquise! Pesquise!
Dedicar tempo e muitas vezes investir dinheiro numa consultoria que apresente exatamente o que você busca e almeja fora do país pode lhe poupar dor de cabeca, frustração e TEMPO. É muito importante que você confie no trabalho de uma consultoria de carreira que te prepare para esse desafio de mudança de vida, seja por qual for o motivo. Só quem passou pela experiência na prática de todo o processo de pesquisa e decisão de mudança pode falar com propriedade do assunto.

As dicas do artigo de hoje são válidas para o desenvolvimento pessoal e da carreira em geral, mesmo pra quem não almeja carreira internacional no curto e médio prazo.


Pense nisso e até a próxima!

Margarete Soares
Há 1,5 ano mora na Alemanha
Psicóloga, atua como consultora online sobre orientação de carreira e carreira internacional
Mais de 15 anos trabalhando com os temas carreira, talento e desenvolvimento de pessoas em multinacionais
margarete.soares@potens.com.br
skype: margaretesoares5
Whatssapp: +49 157 507 79726
 
Canal no Youtube: Margarete Soares #tevedobem